Ads Top

Zack Snyder: A luta e a resposta contra o hate


 
O texto a seguir é, basicamente, uma tradução do editorial "Zack Snyder faz engenharia reversa no ciclo de imprensa em 2020", do portal Reel Anarchy (cujo o qual o próprio diretor divulgou em sua conta do VERO), com o acréscimo de contribuições pessoais. Resolvi publicá-lo num ambiente neutro, por se tratar de um ponto de vista muito parcial e não correr o risco de representar uma opinião unânime de um local com mais editores.

Acompanhe um resumo detalhado, de forma temporal, para entendermos porque Zack Snyder foi massacrado por haters, ao longos desses anos, de forma injusta e imparcial.

COMO AS COISAS COMEÇARAM

Voltamos para 2008, quando o filme "O Cavaleiro das Trevas" foi anunciado como continuação de "Batman Begins" (2005). Naquela época, a existência de blogs geeks era muito menor, comparado com o que temos hoje, e existia uma dificuldade de termos informações mais precisas sobre as produções dos filmes. Agora, avance algumas casas e chegue em 2012, quando o último filme da Trilogia de Nolan, "Batman: O cavaleiros das Trevas Ressurge", foi lançado. O cenário já era diferente e os blogs ganhavam força, começando a virar fontes de notícias exclusivas, ganhando a função de imprensa com suas impressões e notas sobre os filmes. A facilidade de notícias era muito maior e o público tinha acessos a detalhes que, antes, era quase impossível conseguir.

Entre este período (de 2008 à 2012), a Marvel havia lançado cinco filmes de heróis, preparando o cenário para uma grande junção destes personagens, numa única produção. Conforme isso foi sendo construído, os portais foram escolhendo lados, criando uma "divisão" comparativa entre DC x Marvel.

COMO OS BLOGUEIROS SE TORNARAM IMPRENSA

Em 2012, foi lançado "Os Vingadores". O filme foi recebido pelo público (num modo comparativo), como "Superman - O Filme", em 1978. Criava-se, ali, uma fórmula de ter mais de um herói nas telas e ser sucesso de bilheteria. Toda a especulação e acumulação de fãs, ao longo dos anos, estava profundamente enraizada na explosão dos artigos escritos sobre o MCU. Então, imagine, no ano seguinte (2013), ao meio disso, ser lançado um filme solo sobre o Superman? Justamente quando os sites começaram a escolher lados de quais filmes foram feitos 'certos' e quais foram feitos 'errados'?

Os fãs da DC estavam acostumados a ter seus heróis em seus próprios mundos e, por isso, a trilogia Batman foi lançada no momento certo. Porque, na época, ninguém ficava perguntando: "Onde está Superman ou a Mulher-Maravilha?", pois ficava claro, desde o início, que eles não existiam naquela linha do tempo, o que fazia a Warner não poder seguir a mesma fórmula que sua "rival" nos cinemas. E, vendo o lucro que um herói solo fazia no estúdio, pensou o que poderia acontecer se trouxesse mais heróis, além do Batman?

O HOMEM DE AÇO

Este é o momento em que Zack Snyder é inserido na história. O diretor já trabalhava no filme do Superman (O Homem de Aço), antes de saber que Vingadores seria um sucesso. Zack já falava oficialmente que, antes de inserir a Liga da Justiça, era preciso pôr ordem na casa do Superman. E assim o fez. Snyder levou para o cinema uma visão diferente do herói que fazia, os demais filmes do gênero, parecerem simples em comparação a este.

COMO A MÍDIA TRATOU OS FÃS DE ZACK SNYDER

E foi quando o "ataque" começou. Snyder, que já havia dirigido grandes produções (como 300 e Watchmen), se viu ao meio do diferente, já apresentado naquela fórmula, que pairava nos filmes do gênero. Os pequenos blogs de antigamente, que agora eram a imprensa, ditavam o que estava "errado". Apontavam que, ao terem gostado de "O Homem de Aço", você não poderia ser considerado um verdadeiro fã da DC. Logo, você ter gostado de uma estética diferente da inicial apresentada pelo outro estúdio, você havia errado na escolha de filmes de super-heróis.

Então, "Batman vs. Superman" foi anunciado. O filme seria uma sequência direta dos acontecimentos finais de "O Homem de Aço", mas o ataque começou antes do lançamento. Pouco depois de sua estreia, as críticas chegavam a ser tão pesadas, que não fazia sentido algum o tamanho desdém em cima de um filme que podia ser considerado, tranquilamente, como um dos maiores eventos dos quadrinhos, trazido para live-action. Sites brasileiros chegaram ao ponto de implicar com a pronúncia do "Vs. ou V." do título do filme.

COMO ZACK FOI TRATADO APÓS BATMAN VS. SUPERMAN

Houve um ódio em cima do filme. Era difícil encontrar um artigo positivo, em relação a produção, que mostrasse de fato o motivo do todo hate. Nessa época, blogueiros de fora do país começavam a montar uma linha de apoio entre eles, para equilibrar tudo de negativo que era escrito quanto a visão de Snyder em seus filmes.

Na sequência, veio o filme "Liga da Justiça". E o estúdio sucumbiu ao medo que tinha dos blogueiros reclamarem de algo do qual não eram fãs e convidou estes mesmos blogueiros, que detestaram "Batman Vs. Superman", a visitarem o set de filmagens de "Liga da Justiça". Fazendo lançar artigos positivos sobre essa visita, o estúdio conseguiu o que queria com isso. A imprensa, agora, acreditava que Zack Snyder havia mudado seu filme para um tom mais leve, igual ao dos filmes da Marvel. Daí, foi só ladeira abaixo e tivemos que engolir um filme modificado com a visão do ex-diretor de "Os Vingadores", Joss Whedon, em meio de diversas polêmicas problemáticas envolvendo a produção e bastidores.

#RELEASETHESNYDERCUT

Liga da ‘Josstiça’ foi a gota d'água para os fãs. Foi o momento de tomada de lugar para apoiar a visão que eles queriam receber. O movimento #ReleaseTheSnyderCut, que muito foi criticado e martelado como forma de silenciar e até de diminuir aqueles que acreditavam que ele existia, foi cansativo e exaustivo, mas valeu a pena. Hoje, após três anos do lançamento de "Liga da Justiça", os blogueiros e fãs que fizeram a linha de frente para apoiar a visão de Snyder, são os responsáveis por receber, com exclusividade, as notícias que o próprio Zack Snyder repassa a eles.

Zack conseguiu reverter seu ciclo de notícias e, ao chegar o momento de anunciar "Liga da Justiça #SnyderCut", o próprio diretor o fez numa conversa com fãs, em transmissão ao vivo. Agora, quando Zack quer falar a respeito de seu corte do filme (que virou uma minissérie que será lançada pelo streaming HBO Max), ele escolhe apoiadores de longas datas para fazer podcasts e lives, quebrando o ciclo de acesso a grandes sites que fomentaram o ódio e boicote gratuito em suas produções.

Snyder está confiando naqueles que estão ao seu lado para escrever sobre ele, pois sabe que "tudo que disser será usado nesses sites que o massacraram", então, por que dar exclusividade a eles? Zack sabe que será notícia, com ou sem eles. Com isso, o diretor retoma o controle das informações que são entregues sobre suas produções.

A ABORDAGEM DA WARNER MEDIA

Essa atitude refletiu na WarnerMedia e seu streaming HBO Max, que estão envolvidos diretamente com os fãs e recuperaram a autoestima em suas produções. Não é mais uma coisa estranha vermos a conta da emissora TNT se gabar de "O Homem de Aço" de Zack Snyder, ou a conta da AT&T tweetar um gif de Ben Affleck, em resposta a algum fã. Fato que, antes, a Warner Bros. se esquivava e tentava evitar o tempo todo.

Zack Snyder é um produto a ser consumido! E, considerando o quão mal a mídia o tratou todos esses anos, esta foi a razão de muitos de nós, fazermos o que fazemos agora: apoiar e mostrar que sua interpretação de filme não é errada devido uma estética ou tom diferente feito pelo estúdio vizinho. É único!
 

Fonte: Reel Anarchy

 

Andre Guilherme

É Andre, sem acento mesmo. Um viajante do Multiverso com Q.I elevado para Legos.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.